Especificações Técnicas

 

Como especificar materiais de ferro fundido?

A especificação é uma etapa fundamental para garantir a compra do material com a qualidade necessária para desempenhar sua função e com o menor preço possível. Nessa etapa é extremamente importante que todos os parâmetros estejam bem definidos para que cliente efornecedor estejam em sintonia.

Para ajudar nossos clientes disponibilizamos um passo a passo por produto de como definir todos os parâmetros necessários para uma boa especificação de materiais hidráulicos em ferro fundido.

Curvas
As curvas de ferro fundido são fabricadas de acordo com a norma NBR 7675.

  1ª etapa – definir o tipo de curva

Essas peças vêm em 4 opções distintas de ângulo de curvatura que fazem dela uma curva mais aberta ou mais fechada. São eles 90°, 45°, 22,50° e 11,25°.

  2ª etapa – definir o diâmetro nominal (DN) da peça

As curvas de ferro fundido podem variar entre 50 e 2.000mm. Nos catálogos essa informação aparecerá nas colunas escritas DN (ou diâmetro nominal)

  3ª etapa – definir a pressão nominal (PN) da peça

São três opções de classe de pressão: 10, 16 e 25. Nos catálogos essa informação aparece no campo PN (ou pressão nominal).

  4ª etapa – definir o tipo de junta

As curvas podem ter duas opções de juntas: com bolsa ou flangeadas. As curvas com bolsa podem ter 4 tipos distintos de travamento: JGS (Junta elástica), JTI (Junta Travada Interna), JTE (Junta Travada Externa) e JM (Junta Mecânica)

  5ª etapa – definir se tem pé

As curvas flangeadas podem vir ou não com um pé de apoio, já as curvas com bolsa não têm a opção de curvas com pé.

  6ª etapa – definir o revestimento

As peças podem vir em 3 revestimentos distintos a depender da agressividade do fluido transportado. Temos a linha natural (azul), a linha clássica (preta) e a linha integral (vermelha). Utiliza-se as linhas natural e clássica para água bruta ou tratada e redes de distribuição e a linha integral para esgoto.


Os tês de ferro fundido são fabricados de acordo com a norma NBR 7675.

  1ª etapa – definir o tipo de tê

Existem dois tipos de tês: com e sem redução. Os tês com redução apresentam um diâmetro de saída menor que o de entrada.

  2ª etapa – definir o diâmetro nominal (DN) da peça

Os tês de ferro fundido podem variar entre 50 e 2.000mm. Nos catálogos essa informação aparecerá nas colunas escritas DN (ou diâmetro nominal)

  3ª etapa – definir a pressão nominal (PN) da peça

São três opções de classe de pressão: 10, 16 e 25. Nos catálogos essa informação aparece no campo PN (ou pressão nominal).

  4ª etapa – definir o tipo de junta

Os tês podem ter as seguintes combinação: 3 bolsas, 3 flanges e 2 bolsas e 1 flange. As bolsas podem ter 4 tipos diferentes de travamento: JGS (Junta elástica), JTI (Junta Travada Interna), JTE (Junta Travada Externa) e JM (Junta Mecânica)

  5ª etapa – definir o revestimento

As peças podem vir em 3 revestimentos distintos a depender da agressividade do fluido transportado. Temos a linha natural (azul), a linha clássica (preta) e a linha integral (vermelha). Utiliza-se as linhas natural e clássica para água bruta ou tratada e redes de distribuição e a linha integral para esgoto.

g-15-10-2018c8f70a_-removebg-preview

Cruzeta

As cruzetas de ferro fundido são fabricadas de acordo com a norma NBR 7675.

  1ª etapa – definir o tipo de peça

Existem dois tipos de cruzetas: com e sem redução. As cruzetas com redução apresentam um diâmetro de saída menor que o de entrada.

  2ª etapa – definir o diâmetro nominal (DN) da peça

As cruzetas de ferro fundido podem variar entre 50 e 900mm. Nos catálogos essa informação aparecerá nas colunas escritas DN (ou diâmetro nominal)

  3ª etapa – definir a pressão nominal (PN) da peça

São três opções de classe de pressão: 10, 16 e 25. Nos catálogos essa informação aparece no campo PN (ou pressão nominal).

  4ª etapa – definir o tipo de junta

As cruzetas podem ter duas opções de juntas: com bolsa ou flangeadas. As cruzetas com bolsa podem ter 4 tipos distintos de travamento: JGS (Junta elástica), JTI (Junta Travada Interna), JTE (Junta Travada Externa) e JM (Junta Mecânica)

  4ª etapa – definir o revestimento

As peças podem vir em 3 revestimentos distintos a depender da agressividade do fluido transportado. Temos a linha natural (azul), a linha clássica (preta) e a linha integral (vermelha). Utiliza-se as linhas natural e clássica para água bruta ou tratada e redes de distribuição e a linha integral para esgoto.

 

g-15-10-2018777b1c_-removebg-preview

Redução

As reduções de ferro fundido são fabricadas de acordo com a norma NBR 7675.

  1ªetapa – definir o tipo de redução

Existem dois tipos de redução: excêntricas e concêntricas. A primeira não compartilha a mesma linha de centro, nesse caso mantém os tubos na mesma linha, pois tem um dos lados reto. Já a segunda mantém a linha de centro e não mantém as tubulações no mesmo lado, pois ambos os lados têm inclinações.

  2ª etapa – definir o diâmetro nominal (DN) da peça

As reduções de ferro fundido podem variar entre 50 e 1.200mm. Nos catálogos essa informação aparecerá nas colunas escritas DN (ou diâmetro nominal)

  3ª etapa – definir a pressão nominal (PN) da peça

São três opções de classe de pressão: 10, 16 e 25. Nos catálogos essa informação aparece no campo PN (ou pressão nominal).

  4ª etapa – definir o tipo de junta

As reduções podem ter três opções de juntas: com bolsa, com ponta ou flangeadas. As peças com bolsa podem ter 4 tipos distintos de travamento: JGS (Junta elástica), JTI (Junta Travada Interna), JTE (Junta Travada Externa) e JM (Junta Mecânica).

  5ª etapa – definir o revestimento

As peças podem vir em 3 revestimentos distintos a depender da agressividade do fluido transportado. Temos a linha natural (azul), a linha clássica (preta) e a linha integral (vermelha). Utiliza-se as linhas natural e clássica para água bruta ou tratada e redes de distribuição e a linha integral para esgoto.

 

g-15-10-20187447cd_-removebg-preview

Extremidade

As extremidades de ferro fundido são fabricadas de acordo com a norma NBR 7675.

  1ª etapa – definir o diâmetro nominal (DN) da peça

As extremidades de ferro fundido podem variar entre 50 e 1.200mm. Nos catálogos essa informação aparecerá nas colunas escritas DN (ou diâmetro nominal)

  2ª etapa – definir a pressão nominal (PN) da peça

São três opções de classe de pressão: 10, 16 e 25. Nos catálogos essa informação aparece no campo PN (ou pressão nominal).

  3ª etapa – definir o tipo de junta

As extremidades podem ter três opções de juntas: com bolsa, com ponta ou flangeadas. As peças com bolsa podem ter 4 tipos distintos de travamento: JGS (Junta elástica), JTI (Junta Travada Interna), JTE (Junta Travada Externa) e JM (Junta Mecânica).

  4ª etapa – definir se tem aba de vedação

As extremidades podem vir com ou sem aba de vedação para fazer a ancoragem da peça.

  5ª etapa – definir o revestimento

As peças podem vir em 3 revestimentos distintos a depender da agressividade do fluido transportado. Temos a linha natural (azul), a linha clássica (preta) e a linha integral (vermelha). Utiliza-se as linhas natural e clássica para água bruta ou tratada e redes de distribuição e a linha integral para esgoto.

Cap

Os caps de ferro fundido são fabricados de acordo com a norma NBR 7675.

  1ª etapa – definir o diâmetro nominal (DN) da peça

Os caps de ferro fundido podem variar entre 50 e 800mm. Nos catálogos essa informação aparecerá nas colunas escritas DN (ou diâmetro nominal)

  2ª etapa – definir a pressão nominal (PN) da peça

São três opções de classe de pressão: 10, 16 e 25. Nos catálogos essa informação aparece no campo PN (ou pressão nominal).

  3ª etapa – definir o tipo de junta

Os caps são sempre com bolsa. Eles podem ter 3 tipos distintos de travamento: JGS (Junta elástica), JTI (Junta Travada Interna), JTE (Junta Travada Externa).

  4ª etapa – definir o revestimento

As peças podem vir em 3 revestimentos distintos a depender da agressividade do fluido transportado. Temos a linha natural (azul), a linha clássica (preta) e a linha integral (vermelha). 

Flange Cego

Os flanges cegos de ferro fundido são fabricados de acordo com a norma NBR 7675.

  1ª etapa – definir o diâmetro nominal (DN) da peça

Os flanges cegos de ferro fundido podem variar entre 50 e 1.200mm. Nos catálogos essa informação aparecerá nas colunas escritas DN (ou diâmetro nominal)

  2ª etapa – definir a pressão nominal (PN) da peça

São três opções de classe de pressão: 10, 16 e 25. Nos catálogos essa informação aparece no campo PN (ou pressão nominal).

  3ª etapa – definir o revestimento

As peças podem vir em 3 revestimentos distintos a depender da agressividade do fluido transportado. Temos a linha natural (azul), a linha clássica (preta) e a linha integral (vermelha). Utiliza-se as linhas natural e clássica para água bruta ou tratada e redes de distribuição e a linha integral para esgoto.

Junção

As junções de ferro fundido são fabricadas de acordo com a norma NBR 7675.

  1ª etapa – definir o tipo de junção

Existem dois tipos de junção: com e sem redução. As junções com redução apresentam um diâmetro de saída menor que o de entrada.

  2ª etapa – definir o diâmetro nominal (DN) da peça

Os tês de ferro fundido podem variar entre 50 e 450mm. Nos catálogos essa informação aparecerá nas colunas escritas DN (ou diâmetro nominal)

  3ª etapa – definir a pressão nominal (PN) da peça

São três opções de classe de pressão: 10, 16 e 25. Nos catálogos essa informação aparece no campo PN (ou pressão nominal).

  4ª etapa – definir o tipo de junta

As junções podem ter duas opções de juntas: com bolsa ou flangeadas. As peças com bolsa tem apenas a opção de travamento elástico (JGS).

  5ª etapa – definir o revestimento

As peças podem vir em 3 revestimentos distintos a depender da agressividade do fluido transportado. Temos a linha natural (azul), a linha clássica (preta) e a linha integral (vermelha). Utiliza-se as linhas natural e clássica para água bruta ou tratada e redes de distribuição e a linha integral para esgoto.

Placa de Redução

As placas de redução de ferro fundido são fabricadas de acordo com a norma NBR 7675.

  1ª etapa – definir o diâmetro nominal (DN) da peça

As placas de redução de ferro fundido podem variar entre 50 e 1.000mm. Nos catálogos essa informação aparecerá nas colunas escritas DN (ou diâmetro nominal)

  2ª etapa – definir a pressão nominal (PN) da peça

São três opções de classe de pressão: 10, 16 e 25. Nos catálogos essa informação aparece no campo PN (ou pressão nominal).

  3ª etapa – definir o revestimento

As peças podem vir em 3 revestimentos distintos a depender da agressividade do fluido transportado. Temos a linha natural (azul), a linha clássica (preta) e a linha integral (vermelha). Utiliza-se as linhas natural e clássica para água bruta ou tratada e redes de distribuição e a linha integral para esgoto.

g-15-10-2018cbb597_-removebg-preview

Toco (Flangeado)

  1ª etapa – definir o tipo de toco

Os tocos podem ter duas medidas distintas de comprimento: 0,25 ou 0,50 metros.

  2ª etapa – definir o diâmetro nominal (DN) da peça

Os tocos de ferro fundido podem variar entre 50 e 1.200mm. Nos catálogos essa informação aparecerá nas colunas escritas DN (ou diâmetro nominal)

  3ª etapa – definir a pressão nominal (PN) da peça

São três opções de classe de pressão: 10, 16 e 25. Nos catálogos essa informação aparece no campo PN (ou pressão nominal).

  4ª etapa – definir o revestimento

As peças podem vir em 3 revestimentos distintos a depender da agressividade do fluido transportado. Temos a linha natural (azul), a linha clássica (preta) e a linha integral (vermelha). Utiliza-se as linhas natural e clássica para água bruta ou tratada e redes de distribuição e a linha integral para esgoto.

Carretel

Os carretéis de ferro fundido são fabricados de acordo com as normas NBR 11207 e NBR 7675.

  1ª etapa – definir o tipo de carretel

Existem dois tipos de carretel: simples e completo. Os carretéis completos são aqueles com tirante de rosca total.

  2ª etapa – definir o diâmetro nominal (DN) da peça

Os carretéis de ferro fundido podem variar entre 50 e 1.200mm. Nos catálogos essa informação aparecerá nas colunas escritas DN (ou diâmetro nominal)

  3ª etapa – definir a pressão nominal (PN) da peça

São três opções de classe de pressão: 10, 16 e 25. Nos catálogos essa informação aparece no campo PN (ou pressão nominal).

  4ª etapa – definir o revestimento

As peças podem vir em 3 revestimentos distintos a depender da agressividade do fluido transportado. Temos a linha natural (azul), a linha clássica (preta) e a linha integral (vermelha).Utiliza-se as linhas natural e clássica para água bruta ou tratada e redes de distribuição e a linha integral para esgoto.